Há algum tempo o idoso era apresentado pela literatura infantil como um velhinho de cabelos brancos, de idade avançada, mas nunca apresentava nenhuma sintoma de doenças e nenhum mal estar aparente, nada… Quando muito era representado numa cadeira de balanço para indicar uma necessidade maior de descanso, com uma bengala ou de óculos de grau. Era sempre apresentado lúcido, bem disposto e só sabia-se que era idoso porque tinha rugas e cabelos brancos.

Recentemente autores infanto-juvenis procuram apresentar uma ótica mais realista dos idosos na literatura. Claro que ainda de uma forma mais amena, adaptado ao leitor atual. Neste livro o foco é a doença de Alzheimer. A autora Renata Paiva teve a consultoria do Dr. Norton Sayeg, presidente da Associação Brasileira de Alzheimer, e em sua obra relata a historia de uma garotinha cuja avó sofre da doença.

Durante a narrativa são apresentados vários conselhos de como se portar e agir, relatos das situações mais frequentes que podem ocorrer (retrocesso mental, perda de memória recente, o não reconhecimento dos parentes) e, principalmente, alguns esclarecimentos sobre a doença. tudo de uma forma bastante amena.

Para você que quer apresentar o tema a criança, seja por ela vivenciar isso em sua família ou seja por aprendizado, esse livro é perfeito.

A vovó virou bebê 3 300x300 1 - "A vovó virou bebê": um guia prático sobre Alzheimer para criançasA sua ideia era atingir vários leitores (quero dizer, mesmo os que não estão passando pelo problema)? “O mote para a criação da história foi o Alzheimer, uma doença que infelizmente afeta cada vez mais pessoas no mundo. Mas me interessava também abordar a relação entre avós e netos. Pensei em criar uma história que pudesse despertar nas crianças aquilo que elas já têm: os bons sentimentos, a boa vontade em aceitar o desconhecido, a sua capacidade de olhar para um problema e logo procurar uma solução, ainda que de modo ingênuo. E que também pudesse sinalizar para os adultos a possibilidade de se lidar com a dor de uma maneira mais leve, mas não menos intensa. Nesse sentido, a história de Sofia e da avó Dorinha foi um pretexto para falar de sentimentos humanos, sejam infantis ou adultos. Afinal, o amor, a esperança e a desesperança, o medo, a delicadeza, a vontade de ter respeito e ser respeitado, de cuidar e ser cuidado são experiências emocionais, entre tantas outras, que se concretizam independentemente de quanto tempo já se viveu. Costumo dizer que A Vovó Virou Bebê é uma história para ser lida por “crianças” de todas as idades.” – Renata Paiva, em entrevista à ‘revista Crescer/Globo’.

O livro Vovó que virou bebê1 252x300 1 - "A vovó virou bebê": um guia prático sobre Alzheimer para crianças
Título: A vovó virou bebê
Autora: Renata Paiva
Ilustradora: Ionit Zilberman
Editora: Panda Books
Nº de pág: 56
Sinopse: Sofia é uma menina de sete anos. Ela mora com os pais em uma vila e é praticamente vizinha de sua avó Dorinha, com quem gosta de passar bastante tempo. Mas um dia a vovó Dorinha começa a agir de maneira muito esquisita. Ela abotoa a blusa errado, esquece das coisas que estava fazendo e chega a precisar de uma babá. A vovó Dorinha tem Alzheimer, uma doença de causa e cura desconhecidas.

Fonte: Revista Crescer

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Doce Poesia
Para quem ama doces e adora surpresas, este é o lugar certo!!!