Eu admiro os bolos.
Considero “seres” generosos por natureza.
São como remédios para alma.
Quando tudo está meio fora de lugar, nada melhor que um bolo, um amigo, um abraço e um café, fortes, por favor.
O bolo compartilha a alegria e afaga a tristeza. Dá colo. É quente, tem cheiro de perfume de vó e faz cafuné na alma.
Ele comemora e partilha.
O bolo, definitivamente, é um cara generoso.
Te desejo bolos e amigos. Quentes, por favor.

[Cláudia Dornelles]

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Doce Poesia
Para quem ama doces e adora surpresas, este é o lugar certo!!!